Com dedicação especial e amor por seu ofício Lúcia Menezes canta como quem borda em um delicado tecido. E assim vai fazendo sua estrada pessoal e apaixonada.

 

Ela é artista desde criança. Entre produções teatrais na escola e para a família a música sempre esteve presente em sua vida na cidade de Itapipoca (CE), onde nasceu. Ainda na infância conquistou seu primeiro incentivo, e aos três anos ganhou concurso de melhor voz infantil.

 

A paixão pela música cresceu com ela, que seguiu participando de corais tendo destaque como solista. Incentivada pela professora de canto, Leilah Carvalho Costa, iniciou uma carreira solo que começou a acontecer nos tradicionais Festivais de Música, colecionando mais prêmios e abrindo estrada para shows pela região. Ainda no Ceará gravou dois discos, sendo um totalmente dedicado ao repertório de Carmen Miranda. Em 1997 e 1998 ganhou o prêmio de melhor cantora da Fundação Cultural de Fortaleza .

 

Já no Rio, em 2005 gravou o disco Lúcia Menezes ao lado de grandes nomes da música brasileira como o produtor José Milton e arranjos luxuosos divididos entre Cristóvão Bastos e João Lyra. O release de apresentação foi escrito pelo expert Ruy Castro e o disco lançado pela gravadora Kuarup e recebeu muitos elogios da crítica.

 

Três anos depois voltou a reunir o mesmo time campeão, mas o release trazia a assinatura de gala de Sérgio Cabral. Com o álbum Pintando e bordado, lançado pela Som Libre, foi indicada ao importante Prêmio da Música Brasileira ao lado de Lia de Itamaracá na categoria “Melhor cantora Regional”, em evento que aconteceu no Canecão junto com os maiores nomes da música brasileira. O disco também rendeu coleção de elogios da imprensa de todo o país.

 

Respaldada pela assinatura de grandes mestres, Lucia Menezes está lançando seu novo trabalho, mais uma vez reunindo o mesmo time vencedor. O repertório segue seu interesse pela busca de novos nomes e o resgate de artistas importantes da história da música brasileira.

 

Sua voz é feliz, exala a alegria de estar cantando. Quase como uma criança descobrindo a música, com as vantagens do conhecimento de causa e da personalidade.

 

por Beto Feitosa